728x90 AdSpace

Notícias
16 de junho de 2015

Os 10 mandamentos do NÃO para a fibromialgia


Quando se tem fibromialgia devemos evitar algumas coisas, alguns alimentos, roupas, pesos, esforços, etc.
Talvez mais importante ainda sejam algumas atitudes que todos temos mas têm que ser evitadas, sem apelo nem agravo, para termos uma melhor qualidade de vida.

A luta é diária e difícil. Estes mandamentos devem ser a primeira coisa a relembrar logo pela manhã.


10 mandamentos do não para a fibromialgia

 

1. Não te sobrecarregues 

- Não faças mais do que já sabes que o teu corpo consegue aguentar


2. Não te critiques

- Se tiveres vontade de te criticares por não conseguires fazer alguma coisa que fazias melhor e mais rapidamente (antes da fibromialgia), pensa "Eu estou a fazer o melhor que posso"


3. Não te culpes

- Seja o que for que te digam tu sabes que a doença não é culpa tua, não pediste para a ter, não tinhas forma de a evitar, por muito que quisesses


4. Não acredites em opiniões negativas

- Podes ouvir que és preguiçoso, fraco ou louco, não podes nunca acreditar em nada disso. Lembra-te que os mais fortes são os que lutam contra uma adversidade, tal como tu.


5. Não tenhas expectativas negativas

- Talvez tenhas feito um tratamento ou tomado um medicamento que não resultou contigo; isso acontece. Não desistas, podes perder a oportunidade de fazer um tratamento que funcione bem para ti.


6. Não deixes de cuidar de ti

- Não gastes toda a tua energia com as outras pessoas, com o teu trabalho ou responsabilidades. Delega tarefas. Pensar em ti não é egoísmo, é uma questão de sobrevivência.


7. Não desistas 

- Quando mudamos o estilo de vida ou começamos um novo tratamento queremos que os efeitos sejam imediatos, o que é raro acontecer. É preciso dar tempo ao corpo para se adaptar às mudanças. Importante mesmo é conseguir efeitos a longo prazo.


8. Não deixes o stress controlar a tua vida

- O stress piora todos os sintomas da fibromialgia. Convence-te que tens que arranjar estratégias para o controlar.


9. Não insistas em perguntar porquê

- Todos queremos saber porque estamos doentes. Será genético, é a minha alimentação, será um castigo? Mas porquê a mim? Todas estas perguntas só vão fazer com que te sintas pior. Pergunta antes o que poderás fazer para te sentires melhor.


10. Não pares de lutar

- A vida é uma luta contínua. Faz com que a tua missão seja ajudar-te a ti próprio a sentires-te melhor.

NÃO TE RENDAS!




  • Comentários no Blog
  • Comentários no Facebook

10 comentários:

  1. Muito bom, Obrigada ❤

    ResponderEliminar
  2. Esclarecedor é animador ,obrigada!👏

    ResponderEliminar
  3. Acho que o mais dificil para mim, é não fazer mais do que já sabes que o teu corpo consegue aguentar e não deixar o stress controlar a tua vida..Preciso melhorar muito isso, só não sei como.

    ResponderEliminar
  4. Sou fibromiálgica há alguns anos, ouvia muito se falar desta doença mas jamais pensei que desenvolvê-la. Sempre fui muito motivada, corria de um lado ao outro, dava conta de tudo sozinha e gostava disso. Agora o que eu consigo é apenas sentir dores e saber que nada de evolutivo há em termos de pesquisas para a cura dessa doença.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Temos que procurar motivação tooodos os dias.
      Tem havido imensa evolução na investigação e estudos sobre a fisiopatologia da doença. A comunidade científica começa a estar de acordo sobre os mecanismos que esta doença desencadeia no sistema nervoso. Só isso poderá levar a uma cura.
      Entretanto temos que usar os conselhos que reunem consenso e que nos podem ajudar a ter melhor qualidade de vida.
      Aqui no blogue procure os artigos sob a etiqueta viver com fibro, espero que ajudem.
      Um fibro abraço

      Eliminar
  5. Como poderemos o ter um diagnóstico que confirme a doença? No meu caso já fiz vários tratamentos, segundo os sintomas, aparentam ser inflamações ou artrites, hérnias... Na ortopedia desde o ano passado, je fiz tratamentos de infiltracoes, porém as dores nunca passaram e só aumentei de peso (mais de 25kg), o que piorou a situação. Era duas vezes por semana durante mês e meio...
    No novo emprego que iniciei em Setembro, ao fim de uma semana precisei de ser com urgência consultará pelo médico que de novo tratou com infiltracoes. Nada mudou, neste momento estou amfazer fisioterapia, mas muito lentamente, ainda assim é o melhor resultado que consigo ir sobrevivendo. Estou de baixa médica, pois o esforço não no trabalho, deixa-me completamente bloqueada.
    Os sintomas são quase todos os referidos num paciente com fibromialgia. Onde poderei eu ser consultada e tratada?
    Irei fazer 2 IRM a coluna e cervical
    Agradeço vossas informações... De facto tenho tido alguns cuidados o que me ajuda a minimizar relativamente, mas não a 40%.
    Obrigada e cumprimentos

    ResponderEliminar
  6. Valéria Andrade,28 de Outubro de 2016 às 9:11
    Fibromiálgica há 16 anos, atualmente em tratamento na Clínica da Dor Crônica, pelo SUS,a além de psiquiatra, psicóloga,tentando ajuda de um fisioterapeuta.Tudo bem demorado pois caímos no sistema de regulação de vagas(Sisreg).Ainda assim tenho sido atendida por bons profissionais e conseguido medicações. Nem sempre todas prescritas, o que atrapalha o tratamento em virtude de não ter condições laboarativas e ter o pedido do Benefício Auxílio Doença indeferido por10 peritos do INSS.Mesmo com Laudos contundentes dos profissionais, laudo de internação para investigação de pancreatite,descartada após a realização de Tomografia de Abdômen Total.Complicações,como úlceras no estômago e intestino comprovadas através de Endoscopia e Colonoscopia e a tão conhecida Depressão e Pânico.
    Fígado comprometido pelo uso de longa data, de medicações como Tramal para conter as dores insuportáveis e constantes, dois tipos de antidepressivos e anticonvulsivantes, que auxiliam no controle da Dor. Além das específicas dos problemas gastro-intentestinais.Nesses dezesseis anos, o período mais intenso da doenças.Graças a Deus, consegui atendimento pelo SUS, através do Posto de Saúde que atende a região onde moro, fui encaminhada pelo Reumatologista para a Clínica da Dor, agora sendo atendida no Hospital dos Servidores do Estado no RJ.Faço uma série de exercícios de alongamento, que aumentam ou diminuem de acordo co o estado físico. Não tomo leite nem derivados e glúten, me fazem muito mal. Também não faço uso de antiinflamatórios, contra indicado para os Portadores de Fibromialgia.
    Desejo que meu relato possa ajudar de alguma forma e obrigada pelas informações.

    ResponderEliminar
  7. De forma resumida, é isso mesmo...
    Tente seguir os mandamentos o mais "a risca" possível e verás que a vida se torna mais SUPORTÁVEL.

    ResponderEliminar
  8. quando ja perdi tudo , como arranjar forcas para continuar

    ResponderEliminar

Item Reviewed: Os 10 mandamentos do NÃO para a fibromialgia Rating: 5 Reviewed By: Fibromialgia em PT