728x90 AdSpace

Notícias
25 de março de 2015

Tudo ou quase tudo sobre: hidroterapia


De acordo com a literatura disponível, a Hidroterapia tem vindo a ser recomendada como padrão de tratamento em pacientes diagnosticados com fibromialgia.

Em função dos extensos benefícios da imersão, os mais bem estudados e de valor definido são determinantes da melhoria de vários parâmetros clínicos da fibromialgia, como: dor, distúrbios do sono, fadiga, depressão e ansiedade.
A hidroterapia trabalha com exercícios aeróbicos, os quais são bem estudados na fibromialgia. Além disso, estes exercícios liberam neurotransmissores entre eles a endorfina, proporcionando:
  • Melhor memória
  • Melhor humor
  • Aumento da força muscular
  • Melhor equilíbrio
  • Maior resistência ao exercício
  • Melhor disposição física e mental
  • Melhor sistema imunológico
  • Melhor circulação sanguinea das extremidades reduzindo as lesões dos vasos sanguíneos
  • Alivio das dores
@ Equilíbrio



Programa sobre Hidroterapia - Reabilitação Aquática elaborado pelo Edição Saúde em São Paulo - Brasil, partilhado por Aqua Brasil, publicado em Abril 2012





 

Estudos

 

1. Serviço de Hidroterapia do Centro Universitário Feevale

Discussão:

"É indiscutível o impacto negativo que a FM causa na qualidade de vida dos indivíduos. Esse facto assume grande relevância, já que o diagnóstico desta síndrome é eminentemente clínico, baseado nos tender points (pontos gatilho) e anamnese (técnica de entrevista do médico ao paciente), sem alterações laboratoriais específicas. A polissonografia pode ser um instrumento útil em casos menos característicos, podendo detectar alterações típicas na arquitectura do sono, as chamadas intrusões alfa. Os exames laboratoriais são mais freqüentemente utilizados como diagnóstico de exclusão de fenómenos sistémicos associados, como hiper ou hipotiroidismo, diabetes melitus e outras patologias associadas a estados de fadiga e depressão, além de outras doenças comumente associadas à fibromialgia, como lupus eritematoso sistémico, artrite reumatóide e síndrome de Sjögren.


A falta de marcadores laboratoriais para o diagnóstico, prognóstico e acompanhamento dos portadores de fibromialgia é uma das grandes dificuldades no diagnóstico exato da doença. Estudos avaliando parámetros hematológicos, bioquímicos (TGO, TGP, CK, LDH e proteínas), além de factores imunológicos (factor anti-nuclear) não obtiveram sucesso na caracterização de qualquer modificação importante nos valores observados em pacientes da síndrome ou em controles saudáveis. Os dados obtidos no nosso trabalho em relação à dosagem da enzima CK e de sua fração CKMB confirmam esses dados.

(...)

Além da dificuldade de diagnóstico, esta patologia também apresenta grande dificuldade em relação ao tratamento, sendo que os pacientes, na sua grande maioria são submetidos a esquemas de politerapia, com antiinflamatórios, antidepressivos e relaxantes musculares. Outras formas alternativas de tratamento têm sido propostas, como modificações na dieta dos pacientes, com inclusão de substâncias com potencial antioxidante, como vitaminas e ácido gordo ómega 3, além de exercícios de baixo impacto, como a hidroterapia. Em relação à hidroterapia, observamos a redução do quadro álgico e melhoria da qualidade de vida, com redução da sintomatologia dolorosa, redução da fadiga e dos distúrbios do sono. Estudos anteriores confirmam o presente estudo, sugerindo que a hidroterapia é um tratamento efectivo e eficaz para o tratamento da FM e oferece benefícios significativos quando comparada à actividade em solo, levando à diminuição da sintomatologia dolorosa.

Dessa forma, pode-se concluir que o tratamento fisioterapêutico no meio aquático favorece a redução da intensidade de dor, dos desconfortos musculoesqueléticos, melhorando assim, a realização de actividades da vida diária."




2. Revista PIBIC


Resumo

"As propriedades físicas da água podem actuar no corpo em imersão através da impulsão, diminuindo a carga articular e facilitando movimentos de grande amplitude, a pressão hidrostáctica aumenta a actividade venosa e linfática e a temperatura da água morna promove um relaxamento muscular.

Baseada nos efeitos fisiológicos da imersão, a hidroterapia pode ser uma favorável opção de tratamento a pacientes com fibromialgia. Este artigo pretende verificar os efeitos da hidroterapia no tratamento de pacientes com fibromialgia.

Trata-se de um estudo de caso de oito pacientes com diagnóstico de fibromialgia, encaminhados a uma clínica-escola de Fisioterapia de um Centro Universitário. As pacientes foram avaliadas no início, metade e final do tratamento através das medidas de: dor pela Escala Analógica Visual (VAS), sensibilidade dolorosa nos tender points (pontos gatilho de dor) pela dígito-palpação, impacto da fibromialgia na qualidade de vida através do Fibromyalgia Impact Questionnaire (FIQ)*, e flexibilidade pelo teste da distância do terceiro dedo-solo.

* a ser abordado em breve


O tratamento consistiu em dez sessões individuais de exercícios de relaxamento na piscina terapêutica à temperatura de 34ºC. Os dados das seis pacientes mostraram diminuição da dor na VAS, cansaço matinal, fadiga, ansiedade e depressão pelo FIQ, da avaliação miálgica nos pontos gatilhos de dor e da distância do terceiro dedo-solo. Exercícios de relaxamento na água parecem ser benéficos no tratamento de pacientes com fibromialgia, sendo capaz de reduzir a intensidade da dor e sensibilidade dolorosa, melhorando a qualidade de vida, diminuindo a fadiga, ansiedade e depressão além de proporcionar qualidade do sono e do bem-estar.


  • Comentar no Blog
  • Comentários no Facebook

0 comentários:

Enviar um comentário

Item Reviewed: Tudo ou quase tudo sobre: hidroterapia Rating: 5 Reviewed By: Fibromialgia em PT